A história da chapinha

Quase um século de cabelos lisos

A primeira chapinha se chamava cabelisador
A primeira chapinha se chamava cabelisador

Cabelo cacheado já esteve na moda. Na civilização romana, os cachos eram sinônimos de poder. Na Grécia, eles eram sinal de feminilidade e de sensualidade. Tanto que as mulheres da aristocracia usavam barras de ferro aquecidas para moldar os fios. Era o ancestral do baby liss.

No século XX, a cabeleira cacheada entrou e saiu de moda diversas vezes. Mas a partir da década de 30, a preferência da mulherada esteve com o liso.

Foi nesse período que se popularizou o cabelisador, uma espécie de haste de metal que era aquecida e usada para alisar. Na década seguinte eram usados pentes de metal com o mesmo objetivo (sim, quando aquecidos, eles funcionavam como uma chapinha rudimentar. E tem gente que usa isso até hoje!).

Nos anos 50, começaram a ser usados os primeiros alisadores químicos, feitos a partir de soda cáustica. "O produto era fabricado nos próprios salões, fundo de quintal mesmo", diz Eron Araújo, cabeleireiro do Studio W.


Outra técnica para alisar os fios era literalmente "passar" os cabelos, como ferro de passar roupa (pergunte a sua mãe). Nos anos 60 ficaram famosas as toucas, processo demorado de alisamento. As mulheres esticavam uma por uma, mechas úmidas de cabelos e as prendiam com grampos ao redor da cabeça. Depois era esperar secar ou então usar os secadores de cabelo.

O movimento hippie trouxe o cacheado natural de volta à cena. Mas não foi por muito tempo: os anos 80 foi o marco para o alisamento moderno.

A queratina (proteína natural dos cabelos) passou a ser utilizada para amenizar os danos causados pelos processos de alisamento. "Ela encapa, reconstrói o fio que passou por um processo danoso", diz Eron. Hoje os salões continuam usando a queratina, mas lançam mão também proteínas sintéticas que reconstituem com eficácia ainda maior os fios tratados quimicamente. Sem contar com as chapinhas hypadas, que podem ser usadas com cabelo molhado e que deixam o cabelo hidratado e brilhantes, como se fosse um tratamento. O resultado é que qualquer um hoje pode ter fios lisos, mas uma coisa não mudou: para ficar assim, ou você tem que gastar muito dinheiro ou muito tempo. Ou os dois.

Fonte: http://capricho.abril.com.br


veja também


Total de comentários ()

Voltar para lista de notícias